Ter, 24 de julho de 2018, 18:41

Sistema pode ajudar empresas de comunicação a avaliar relevância das notícias
O software faz parte de trabalho de mestrado da UFS, vencedor em premiação nacional

Nunca foi tão fácil ter acesso a informações. O desenvolvimento da internet e das plataformas de notícias permite aos jornalistas inúmeros modelos para produzir e apresentar conteúdos ao público. Esse cenário traz boas perspectivas, mas também uma dúvida: como os veículos de mídia podem sistematizar a identificação do que é relevante para as publicações diárias?

A relevância jornalística é um conceito sobre o que elege um fato importante ou atraente para que ele seja transformado em notícia. Os profissionais costumam definir critérios de relevância e confiabilidade sobre os fatos para decidir pela publicação ou não. Mas essa escolha é definida a partir da experiência dos jornalistas envolvidos com a notícia.

Para sistematizar o processo de avaliação de relevância, integrantes do grupo de pesquisa desenvolveram uma matriz de relevância e o sistema de informação que pudesse viabilizar sua operacionalização. Assim nasceu o Qualijor, um sistema destinado à gestão do processo jornalístico, que incorpora também metodologias de avaliação de confiabilidade e de pluralidade da informação.

O desenvolvimento do sistema foi coordenado pelo professor Josenildo Guerra, em projeto financiado pelo Conselho de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), concluído em 2012, e teve a parceria de uma equipe de Ciência da Computação da UFS.

Ao ingressar no Mestrado em Comunicação, na Universidade Federal de Sergipe (UFS), Liliane deu continuidade ao trabalho que desenvolvia no projeto deste a Iniciação Científica, e se dedicou a aplicar a matriz de relevância, através do Qualijor, para produzir uma avaliação experimental de qualidade do requisito relevância.

A dissertação de Liliane conquistou o Prêmio Adelmo Genro Filho 2017, concedido anualmente pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor), na categoria Mestrado.


O Qualijor pretende auxiliar na atribuição de relevância aos conteúdos jornalísticos
O Qualijor pretende auxiliar na atribuição de relevância aos conteúdos jornalísticos

Nas palavras da estudante, o sistema, que recebeu o nome de Qualijor, “auxilia a produção jornalística, tanto se apresentando como um apoio para a tomada de decisão, quanto permitindo a externalização e o compartilhamento dos saberes utilizados”.

Funcionalidade

O professor Josenildo Guerra, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFS, orientou o trabalho de Liliane. Ele afirma que a matriz de relevância é essencial para “definir critérios claros e mensurá-los, por meio de pontuação que indique a relevância da notícia”.

A matriz de relevância é uma ferramenta do sistema que serve para auxiliar no processo de avaliação da relevância jornalística. Ela é composta por categorias amplas, os macro valores, e subcategorias ou valores-notícia.

Liliane avaliou 180 notícias, publicadas em três veículos de comunicação, para atestar a funcionalidade do Qualijor..

“Foram selecionados conteúdos em diferentes níveis de destaque, cinco para cada edição, com o objetivo de checar se a avaliação feita pela matriz seria semelhante à dos veículos. De maneira simplificada, eu estava interessada em saber se minha avaliação, orientada pela matriz, seria compatível com a avaliação feita pelo veículo observado”, diz.


Exemplo de cálculo na "matriz de relevância" (Fonte: dissertação da autora)
Exemplo de cálculo na "matriz de relevância" (Fonte: dissertação da autora)

Os resultados produzidos por essa matriz, ressalvando poucas disparidades, foram compatíveis com os veículos de comunicação em questão. “O diferencial, entretanto, é que a avaliação feita a partir do Qualijor gerou não só um ranking de relevância capaz de dizer quais matérias receberiam maior destaque, mas também dados adicionais úteis para a pesquisa e para a compreensão do fazer pela própria organização”, observa.

Como os critérios de relevância devem ser inerentes ao exercício do jornalismo em qualquer meio ou veículo, o conceito do software podem ser adaptado para qualquer plataforma que objetive produzir conteúdos jornalísticos. Seja em revistas, jornais impressos, programas de rádio e televisão ou em ambientes digitais, Liliane declara que critérios como relevância, pluralidade e segurança das informações devem ser sempre levados em consideração.

Apesar desses critérios “comuns”, não se pode ignorar que os veículos também têm critérios próprios – muitas vezes explícitos em seus manuais de redação – para definir o que pautar diariamente. A plataforma não ignorou essas especificidades, sendo capaz de enquadrar as peculiaridades de cada empresa.

“A ferramenta pode e deve ser adaptada, aperfeiçoando o processamento não só de acordo com a plataforma, mas também a política editorial da produção”, afirma a estudante, cuja fala está diretamente ligada ao que seu orientador Josenildo Guerra define ao ser questionado sobre o emprego desses critérios a partir do sistema.

“Os critérios de relevância a compor uma determinada matriz devem certamente pressupor uma audiência que, em alguma medida, viabilize a sustentação financeira (direta ou indireta) do veículo. Mas, tais critérios não podem ser absolutos, eles são objeto de negociação com outros parâmetros que envolvem a produção, como os de ordem legal e ética, certamente [...] Todo e qualquer veículo jornalístico opera, necessariamente, critérios de relevância, definidos em função de seu projeto editorial, de sua audiência visada e da sua capacidade de produção instalada”.

Teoria e prática

Para que o seu desenvolvimento da prática encontrasse justificativas coerentes e concretas dentro das teorias da comunicação, e mais especificamente nos campos de pesquisa do Jornalismo, Liliane precisou recorrer à literatura que vem sendo produzida sobre o assunto. Esbarrou nas limitações e no escasso material.


O professor Josenildo Guerra coordena o grupo de pesquisa Lejor e idealizou o aplicativo Qualijor (Foto: Adilson Andrade - Ascom/UFS)
O professor Josenildo Guerra coordena o grupo de pesquisa Lejor e idealizou o aplicativo Qualijor (Foto: Adilson Andrade - Ascom/UFS)

"Nós sabemos que é necessário avaliar relevância no jornalismo e sabemos como fazê-lo, mas não há muitas iniciativas dedicadas a entender essa relevância conceitualmente, nem a detalhar o procedimento de análise", afirma.

Ela conta ainda que é muito comum que esses critérios sejam, em um primeiro momento, atribuídos à intuição do profissional, ao “faro jornalístico”. Mas a problemática está bem longe de ser explicada de maneira tão simples. É preciso, para Liliane, avançar na discussão para níveis mais teóricos e técnicos.

"Na atualidade não há uma definição sofisticada de relevância jornalística, há elaborações teóricas sobre a noticiabilidade e listagens de valores-notícia, mas nenhuma delas atende plenamente ao que eu acredito ser a necessidade de pensar a relevância jornalística como um requisito de qualidade da prática".

Programa

O protótipo do Qualijor, segundo Josenildo Guerra, ainda não está pronto para ser incorporado aos sistemas de produção - as pesquisas para o desenvolvimento do software continuam sendo realizadas no Laboratório de Estudos em Jornalismo. O resultado esperado é contribuir com a credibilidade editorial e transparência para o público quanto ao conteúdo produzido.

Mas, em tempos de fake news, explica o professor, nos quais as organizações jornalísticas precisam demonstrar a qualidade do seu trabalho, "ferramentas como estas podem ser um auxílio tanto às empresas, para demonstrar sua credibilidade, quanto para a audiência e a sociedade, para verificar em que medida as empresas são de fato comprometidas com o bom trabalho jornalístico".

Para saber mais

A dissertação está disponível, na íntegra, no Repositório Institucional da UFS. Clique aqui para acessar.

Ronaldo Gomes (bolsista)
Marcilio Costa
comunica@ufs.br


Atualizado em: Qua, 25 de julho de 2018, 15:59
Notícias UFS